Extraordinário: 5 ensinamentos sobre saúde mental do filme de 2017

Ontem, 29/09, a Globo transmitiu o filme “Extraordinário”, e trouxe à tona o interesse das pessoas em saber mais sobre o longa, já que este trabalho de 2017 é caracterizado por seu teor emocional muito forte. 

Anúncios

E não é à toa. O filme aborda questões extremamente necessárias, que por muito tempo foram tidas como mínimas, mas na verdade são muito importantes, como o impacto do julgamento, a dificuldade em aceitar quem nós somos, a maldade que podemos fazer – ou receber. 

A obra é inspirada no livro de R.J Palacio e foi recorde de bilheteria logo no seu lançamento. Mesmo algum tempo depois do seu auge, permanece sendo aplaudido por quem assiste, ou lê. 

Ainda trazendo à tona o viés da saúde mental, neste conteúdo você vai ler:

  • Do que fala o filme Extraordinário?
  • Como o julgamento pode afetar a nossa saúde mental?
  • 5 ensinamentos sobre saúde mental do filme Extraordinário

Do que fala o filme Extraordinário?

O filme e livro Extraordinário conta a história de Auggie, August Pullman, que é um garoto de 10 anos que nasceu com uma doença rara, que “deforma” o seu rosto e faz com que ele tenha dificuldade em respirar e comer.

Para solucionar essas questões de saúde, ele passou por inúmeras cirurgias, mas mesmo assim continuou tendo um aspecto diferente das demais crianças, o que acaba causando insegurança ao aparecer na frente das pessoas. 

Por isso, na maioria das vezes em que está em público, ele está com seu capacete de astronauta, que o deixa mais confortável para se “expor”, sem que as outras crianças se assustem com sua aparência. 

O cenário

Dado esse contexto, a história se passa no momento em que ele está na 5ª série, e precisa lidar com diferentes questões decorrentes desta fase da vida: amizades, aventuras, atividades escolares, pois finalmente irá frequentar uma escola. 

Até então, ele estudava em casa com a orientação de sua mãe.

Ter que lidar com tantas situações diferentes é um desafio e tanto. E vou parar de falar por aqui para não dar spoiler. 

Como o julgamento pode afetar a nossa saúde mental 

Fato é que, entendendo a história, você já pode imaginar o quanto é difícil ser uma criança na pele de Auggie. Saudável por dentro, mas diferente por fora. Julgado constantemente antes mesmo de poder dizer uma palavra. 

Essa história é familiar para você?

Hoje, essa situação se intensifica ainda mais, afinal, acabamos nos expondo ainda mais por meio das redes sociais.

O ponto é que o julgamento de terceiros pode afetar diretamente a nossa vida e a nossa saúde mental. 

Auggie, como você poderá descobrir ao ler o livro ou assistir o filme, era uma criança normal. Entretanto, precisou enfrentar inúmeras situações. 

A maioria de nós, com nossos rostos e corpos “normais”, somos impactados diariamente com uma ditadura da beleza implantada por influenciadores e empresas de cosméticos e acabamos nos sentindo à margem do que é o “correto” ou “normal”. 

E isso vale para o outro lado também: quantas vezes nós julgamos pessoas que nem conhecemos por causa da roupa que ela está usando, de algum traço específico, do seu corpo, da sua cor de pele?

Esse tipo de atitude precisa ser repensado o quanto antes, pois as pessoas estão adoecendo por esse motivo. 

5 ensinamentos sobre saúde mental do filme Extraordinário

E é por isso que o filme Extraordinário é tão atual e comovente: ele mostra como nós, em diferentes situações e com diferentes aparências, precisamos aprender a viver nesse mundo que tem parâmetros muito hostis. 

Os últimos dois anos em que estivemos lidando com essa situação de pandemia, nos ensinaram muitas coisas, e uma delas foi o quanto a nossa saúde mental precisa da nossa atenção. 

Optar por assistir filmes como Extraordinário, além de ser muito deleitoso, contribui para inserirmos ensinamentos muito importantes na nossa vida, de forma bem sutil e interessante. 

Confira abaixo 5 ensinamentos do filme Extraordinário. 

Não julgue alguém pela aparência

Existe uma premissa muito básica a respeito do julgamento da aparência de alguém, e ela é a seguinte:

“Se a pessoa pode mudar em cinco minutos, fale. Se ela não puder, não é da sua conta”. 

E qual é o motivo disso? Talvez, uma pessoa acabou de sair do almoço e está com uma alface no dente: avise. 

Quem sabe, a etiqueta da blusa está para fora e ela não percebeu: informe. 

Talvez, tem uma sujeirinha que ela não tinha visto: não custa nada ser gentil e avisar. 

Tudo isso leva menos de cinco minutos para ser mudado, certo? Agora, o outro extremo:

“Nossa, como você engordou!” – É da sua conta? Não! Então…não fale. 

E isso vale para mudanças no cabelo, procedimentos estéticos ou a falta deles, e qualquer outra coisa que NÃO possa ser mudado em cinco minutos. Afinal, avisar que uma pessoa engordou vai contribuir para a vida dela? Provavelmente só vai deixá-la mais insegura sobre si mesma. 

Do mesmo jeito que nós nos sentimos extremamente incomodados quando alguém emite uma opinião que não pedimos, não podemos fazer isso com as pessoas. 

Ensine as crianças sobre os perigos do bullying

Por não ter esse filtro do que é moralmente certo ou errado, as crianças podem acabar sendo cruéis. 

É função dos pais ensinar o que é certo e errado, e o quão pode ficar uma criança que sofre bullying.

Assuma os erros

Talvez essa seja a coisa mais difícil para o ser humano hoje: assumir os próprios erros, tirar a máscara e reconhecer: eu sou falho, não tive intenção, mas errei e quero melhorar. 

Você conhece alguém que tem dificuldade em dizer essas palavras? Você é essa pessoa?

Assumir os próprios erros é um dos maiores atos de coragem que uma pessoa pode ter. 

Enfrente os seus medos

Auggie, em Extraordinário, foi obrigado a lidar com inúmeras situações das quais ele não estava acostumado. Ele teve medo. 

Em quantos momentos da nossa vida nos sentimos mal, inseguros, com medo do desconhecido – ou até o conhecido e queremos desistir?

É aquele ditado: de você tiver medo, vá com medo mesmo!

Sempre escolha ser gentil

E por sim, sempre escolha ser gentil, pois cada um de nós enfrenta uma batalha silenciosa. 

“Se você tiver que escolher entre ser correto e ser gentil, seja gentil.” Extraordinário – pág 55

Gostou do conteúdo?

E aí, vai ler o livro ou ver o filme? Aproveite para ler também Round 6: 5 aprendizados de finanças da nova série da Netflix.

Trends