Inflação: como driblar ao fazer as compras

Se você é adulto e precisa fazer as compras de supermercado, com certeza percebeu que até os produtos mais básicos estão com um preço alto, bem acima da média. E isso é culpa da inflação! 

Anúncios

O preço de tudo subiu: dos produtos de mercado, da gasolina, e de várias coisas que nós precisamos todos os dias para sobreviver. 

Nesse momento, pode surgir um desespero, afinal, o dinheiro passou a valer menos e você precisa pensar em coisas para abrir mão e não ter grandes prejuízos. 

Mas afinal, o que é essa inflação? Como ela impacta diretamente na nossa vida? Não é um imposto que só prejudica os ricos?

Infelizmente, por não termos uma educação financeira de qualidade desde a infância, não compreendemos como funcionam alguns pontos muito importantes para ter uma vida financeira de qualidade. 

Mas, neste texto, vamos esclarecer isso! 

  • O que é inflação?
  • Como a inflação impacta no dia a dia?
  • 5 dicas para driblar a inflação na hora de fazer as compras de mercado

O que é a inflação?

E então, qual é o significado desse nome? Segundo Banco Central do Brasil, a inflação é o aumento generalizado do preço dos bens ou serviços, de modo que impacta diretamente no poder de compra da moeda. 

A inflação pode ter várias causas, e ainda segundo o Banco Central do Brasil, algumas delas são por pressões da demanda, pressões de custos, inércia inflacionária e expectativas de inflação. 

Talvez, para o cidadão comum, isso pode parecer muito difícil de entender, mas de forma clara, a inflação é uma das responsáveis por aumentar o preço da carne, do arroz, prejudicar o crescimento econômico e ainda gerar incertezas quanto ao futuro, afinal, tudo depende do dinheiro. 

Como a inflação impacta no dia a dia?

Então, é dessa forma que a inflação chega a todo mundo: ricos, pobres, classe média, e o impacto na variação do preço da cesta de produtos e serviços básicos que precisamos todos os dias. 

Porém, para pessoas de baixa renda, a situação fica um pouco pior. Explico: uma pessoa de baixa renda já precisa escolher muito minuciosamente o que ela precisa comprar no dia a dia, para que o orçamento não fique ainda mais apertado. 

Quando a inflação está alta, a pessoa de baixa renda precisa eliminar ainda mais coisas da sua lista de compras, passando a, praticamente, apenas sobreviver. 

Você sente isso na pele? 

Provavelmente sim, todos nós sentimos. 

E é por isso que precisamos buscar meios de driblar, o máximo possível, essa inflação e tentar viver minimamente bem diante dessa situação, que pode ser momentânea ou não. 


5 dicas para driblar a inflação na hora de fazer compras de mercado 

Enfim, vamos partir para a parte prática: preciso ir ao mercado, não tem outro jeito, o que posso fazer para lidar com esse aumento exacerbado dos preços e não sair com tanto prejuízo?

Preste bem atenção nessas cinco dicas das quais falaremos a seguir,  e não pense que são bobas, pois por mais simples que seja, auxiliam e muito no resultado final. 

Não vá com fome

Você já deve ter ouvido essa dica em algum momento da sua vida: nunca vá ao supermercado fazer compras com fome! E, provavelmente, esse é o conselho mais importante que você vai ler neste texto. 

Ir fazer compras com fome, estressado, cansado demais, sem paciência, colabora para que você compre coisas que não precisa, levando em conta apenas aquele sentimento do momento. 

O ideal é ir descansado, com uma roupa confortável, alimentado e com foco. Se for difícil resistir a tantas opções no mercado, ter um foco no seu objetivo de gastar menos vai te ajudar a driblar essa situação. 

Faça uma lista

Essa é uma dica antiga que é passada de pais para filhos e nós, depois que nos tornamos adultos, acabamos deixando de lado. Porém, logo nas primeiras compras, ao sermos responsáveis pelas próprias compras de mercado percebemos o quanto a lista teria sido útil. 

São muitas distrações, muitas informações na cabeça, e se a compra de mercado for com muitos itens, é muito fácil levar para casa coisas que não eram necessárias e esquecer o principal.

Isso já aconteceu com você?

É aí que a inflação vai te fazer chorar. 

Você percebe que acabou gastando mais e tendo menos, com coisas menos importantes.

Olhe prateleiras acima e abaixo do seu campo de visão

Você já reparou que, inconscientemente, acabamos comprando mais produtos daquelas prateleiras que estão no nosso campo de visão? 

Isso é tão comum que os supermercados colocam os produtos com maior valor agregado exatamente nessa área, pois sabem que serão os primeiros a serem escolhidos. 

Sem perceber, você pode acabar optando pelo mais caro, enquanto tinha outro logo ali abaixo dos seus olhos com um preço melhor e que atendia às suas necessidades, mas você nem notou. 

Observe produtos que podem ser substituídos

Você já reparou que, muitas vezes, usamos produtos apenas por serem da moda, ou por puro luxo, e que se você for pensar bem, nem faz tanta diferença assim?

Pois é, estes podem ser facilmente substituídos por outros que atendam àquela sua demanda, ou até mesmo podem ser excluídos da lista sem fazer falta. 

Não que você não mereça usar os produtos que gosta, da forma que gosta, mas em tempos de inflação alta, tudo precisa ser analisado para não cairmos no endividamento. 

Evite o desperdício

Sem querer, no nosso dia a dia, acabamos desperdiçando muitas coisas. Na correria, acabamos nem nos dando conta do quanto aquilo nos custou em dinheiro e, consequentemente, o quanto trouxe prejuízo. 

Olhar com calma a despensa antes de ir ao mercado e depois fazer a lista, ajuda a entender melhor a situação e fazer escolhas mais estratégicas e eficientes. 

Conclusão

O segredo está na prevenção. As coisas continuarão caras e nunca dá para driblar 100%. Mas, vale a pena pensar em pequenos hábitos que podem fazer toda a diferença e ajudar a economizar. 

Gostou do conteúdo?

Trends