Benefícios flexíveis: como funcionam e quais as vantagens?

Benefícios flexíveis possuem enorme potencial de gerar satisfação nos colaboradores de uma empresa, isso quando aplicados corretamente.

Anúncios

Isso porque, esse tipo de benefício é oferecido justamente para contentamento, tendo em vista que não desempenham papel de direitos trabalhistas determinados em lei.

Mas, afinal de contas, o que são benefícios flexíveis? Como aplicar em uma empresa de forma segura? Posso solicitar esses benefícios ao meu chefe?

Através do material de hoje poderemos discutir todas essas questões, de modo que você terminará tendo plena noção de como essas bonificações funcionam. Venha conosco!

O que são benefícios flexíveis? Conheça alguns dos principais 

Quando falamos em benefícios flexíveis, muitos acreditam que se trata do pagamento de um valor extra de salário, que permite ao colaborador utilizá-lo como preferir, diferentemente do que ocorre com o Vale-refeição, por exemplo.

E, de fato, essa visão não está equivocada, visto que comercialmente temos alguns cartões focados justamente nessa proposta.

No entanto, quando falamos em benefícios flexíveis, na verdade, nos referimos aos benefícios que não possuem obrigatoriedade legal, ou seja, é de direito da empresa decidir se concede ou não aos colaboradores.

Desse modo, os benefícios flexíveis têm por intuito melhorar a satisfação dos trabalhadores, visto que providenciam qualidade de vida e soluções ao dia a dia.

Veja alguns exemplos:

Auxílio-creche 

O auxílio-creche é um benefício que oferece um valor adicional ao salário, a fim de custear gastos com creche e cuidados com filhos dos colaboradores.

Em geral, este é um benefício pago a mulheres, e corresponde a 5% do salário bruto, mas, pode variar conforme as regras da empresa.

Adiantamento de salário 

Há quem pense que o adiantamento de salário é um direito, mas, na verdade, se trata de um benefício flexível.

Ele é também conhecido como “vale” e corresponde a 40% do valor do salário pago com antecedência, entre o 15º e o 20º dia do mês.

Vale combustível

O vale combustível é pago para auxiliar colaboradores que fazem uso de veículo particular para se locomover até o trabalho.

Em geral, este substitui o vale-transporte, e as empresas pagam de acordo com a política interna.

Horário flexível 

Empresas que aderem ao horário flexível costumam oferecer aos funcionários algumas possibilidades, como:

  • Ausência de sistema de ponto para controle de entrada e saída;
  • Jornada de trabalho reduzida (menos de 8 horas diárias, ou menos dias na semana);
  • Possibilidade de escolha entre trabalho presencial e remoto em alguns dias da semana;
  • Entre outras possibilidades.

Auxílio home office

O auxílio home office tem por intuito auxiliar no custeio de recursos para o trabalho remoto, tais como:

  • Compra de equipamentos;
  • Mobília;
  • Internet;
  • Adicional de salário;
  • Entre outros.

Vale dizer que estes são apenas alguns exemplos, visto que existem muitos outros benefícios flexíveis, como: gympass, convênio de saúde/odontológico, incentivo educacional, entre outros.

Como aplicar benefícios flexíveis na sua empresa?

Como já explicamos, os benefícios flexíveis são excelentes meios de promover melhora de desempenho e satisfação entre os colaboradores de uma empresa.

Isso porque, ter benefícios além do salário, promove melhora da qualidade de vida, além de providenciar soluções que tornam o dia a dia mais simples.

No entanto, para que essa prática só tenha vantagens é importante fazer a aplicação da forma correta, visto que, por não ser algo determinado em lei, não existem tantas regras que garantam respaldo para ambas as partes acerca do assunto.

Por isso, veremos agora algumas dicas para aplicar benefícios flexíveis na sua empresa de forma eficiente e segura.

1. Garanta uma aplicação igualitária 

O primeiro passo para aplicar benefícios flexíveis é garantir a igualdade entre os colaboradores.

Isso porque, discrepâncias nesse assunto podem gerar um clima hostil dentro da empresa, afinal de contas, quem não se sentiria injustiçado em não receber uma vantagem que outro colaborador recebe?

Por exemplo, oferecer vale combustível apenas para homens pode gerar denúncias de machismo, afinal de contas, apenas homens vão dirigindo ao trabalho?

O mesmo vale para o auxílio-creche, visto que, embora seja previsto para mulheres, aplicar apenas a elas pode excluir pais solo, ou até mesmo passar a impressão de que apenas as mulheres devem se responsabilizar pelos filhos enquanto trabalham.

Por isso, se for aplicar, busque garantir um cenário focado em igualdade.

2. Pesquise sobre cartões de benefícios

Os cartões de benefícios são excelentes maneiras de conseguir aplicar os benefícios flexíveis, visto que não contam com descontos trabalhistas.

Alguns destes cartões permitem gastos em combustível, alimentação, serviços e muitos outros pontos importantes.

+Leia também: O cartão Alelo Pod e seus benefícios flexíveis – O Administrador.

3. Verifique os custos desse projeto cuidadosamente

Se não ter benefícios flexíveis é uma desvantagem, ter e precisar tirar por conta de custo pode gerar uma insatisfação ainda maior.

Por isso, antes de determinar oferecer auxílio-creche, vale combustível, auxílio de saúde e adiantamento de salário pense em dois pontos principais:

  • Qual a logística disso?
  • Quanto vai custar?

 Mais vale ter apenas um benefício flexível e garantir o pagamento, do que oferecer vários e causar um rombo financeiro à empresa.

4. Conheça as demandas dos seus colaboradores

Se a maior parte dos seus funcionários necessita de auxílio para trabalho remoto, essa demanda acaba sendo mais importante do que um gympass, por exemplo.

Sabemos que o cenário ideal é poder pagar os dois, mas, conforme conversamos anteriormente, de nada adianta se isso for causar problemas futuramente.

Por isso, converse com os seus colaboradores, entenda quais benefícios oferecem mais vantagens a eles.

Assim, as chances de agradar são bem maiores, de modo que a empresa colherá os frutos dessa satisfação.

A empresa em que trabalho não concede benefícios flexíveis, o que fazer?

Ao chegar ao final deste conteúdo, é provável que você conclua que a empresa na qual trabalha não oferece nenhum benefício flexível. O que fazer neste caso?

Bem…conforme conversamos, a princípio nenhuma empresa tem por obrigação pagar este tipo de benefício, pois não possuem previsão em lei trabalhista.

Portanto, não existe a possibilidade de fazer cobranças, visto que a empresa não está cometendo nenhuma infração.

Neste caso, o que é possível fazer é apostar no diálogo, a fim de apresentar a proposta a empresa.

A ideia é que você monte um projeto, a fim de enaltecer as vantagens desse tipo de benefício, a fim de que a empresa faça uma avaliação a respeito da possibilidade.

Não é algo garantido, mas, certamente pode fazer com que os seus líderes reflitam acerca da importância de investir no bem-estar dos colaboradores.

Gostou das informações? Para mais conteúdos sobre empreendedorismo e mercado de trabalho, acompanhe O Administrador!

Isso pode te interessar: Livros recomendados por Elon Musk: 5 indicações para ler até o final do ano  – O Administrador.