Exame admissional: um passo fundamental para o profissional

O exame admissional é obrigatório e garante a segurança da empresa e do profissional. Leia o texto e saiba mais!

Anúncios

Quando a tão sonhada oportunidade bate à porta, sabemos que até o primeiro dia de trabalho chegar, ainda temos que passar por muitas etapas do processo seletivo.

Um passo importante na contratação de um colaborador após a entrevista, é o exame admissional, inclusive, também tem caráter eliminatório.

Isso porque, caso o candidato seja reprovado nesse exame, a empresa não finaliza a sua contratação.

No texto de hoje, você descobrirá mais detalhes desse exame, para que serve, valores e o que faz um profissional ser reprovado. 

Não deixe de acompanhar! 

Índice do texto:

  • O que é um exame admissional?
  • Etapas do processo: Anamnese Médica, Avaliação Física e Psicológica e Exames complementares
  • Quanto custa?
  • Quem paga?
  • Quais documentos levar?
  • O que faz um profissional ser reprovado?
  • Qual a sua importância?
  • Quais exames não podem ser solicitados pela empresa na hora da contratação?
  • Tem que estar de jejum para fazer o exame?
  • Quando se faz o exame admissional já está contratado?
  • Conclusão – empresas com vagas abertas.

O que é um exame admissional?

É uma etapa importante e obrigatória em processos seletivos, quando uma empresa decide contratar um novo colaborador. 

Esse exame está listado no art.168 da CLT, caso não saiba o que é CLT. Leia nosso texto e descubra! 

O exame também deve ser realizado periodicamente, na demissão, quando há mudança de função e retorno ao trabalho. Nessas situações, é emitido um Atestado de Saúde de Trabalho (ASO) por um médico do trabalho. 

No artigo, também é citado que o médico pode exigir outros exames complementares para apurar a capacidade, aptidão física ou mental do candidato para a função que deve exercer.

Para conhecer o histórico do profissional, na consulta é necessário preencher algumas fichas e responder a determinadas perguntas.

Fora isso, o profissional de saúde também precisa conhecer as condições físicas necessárias para a ocupação do cargo, informações fornecidas pela empresa.

Com os exames e informações necessárias, o médico pode dar um “veredito”, ou seja, afirmar ou não se o candidato tem a capacidade, aptidão física ou mental necessária para desenvolver as atividades do cargo que está se candidatando.

Os exames mais comuns nessa etapa, são:

  • Glicemia;
  • Hemograma completo;
  • Eletrocardiograma;
  • Audiometria.

Os exames complementares servem para comprovar que o profissional possui condições físicas para executar as atividades do cargo. 

Em muitas profissões, esse fator é indispensável, por exemplo, em atividades arriscadas ou que exijam força física.

Observe abaixo três etapas importantes do funcionamento 

1. Anamnese médica

É como uma entrevista. O médico faz diversas perguntas ao profissional para entender melhor seu histórico de saúde física e mental. 

2. Avaliação Física e Psicológica

Após a entrevista, o médico realiza um exame clínico completo para entender se há decorrência de doenças ocupacionais. 

Além disso, são realizadas medições físicas e psicológicas.

3. Exames complementares

Os exames complementares são solicitados em situações específicas ou quando o profissional vai realizar alguma atividade que necessite uma avaliação determinada. 

Por isso, esses exames são realizados conforme a função exercida, por exemplo: os motoristas precisam realizar um exame complementar de acuidade visual.

Quanto custa um exame admissional?

O valor varia devido a diferentes fatores, principalmente de região para região. Todavia, não costuma ser muito caro. 

O preço médio varia entre R$50 e R$60.

Exame admissional: quem paga?

Esse exame é obrigatório e pode gerar problemas judiciais caso não seja realizado. A obrigatoriedade com os custos do exame admissional e complementares é de responsabilidade da empresa. 

O colaborador não paga nada, apenas os custos com deslocamento para ir até a clínica.

Geralmente, a empresa já tem um local certo para esse procedimento e também se responsabiliza pelo agendamento.

Mesmo que não faça isso, informe o telefone e endereço para o funcionário marcar o exame.

O candidato não deve ir a uma clínica por conta própria, apenas no local onde a empresa informar. 

Após a consulta, a clínica envia os resultados para empresa. 

Quais documentos levar?

Em suma, você precisará de um documento de identificação e a guia que será entregue pela empresa. 

O colaborador pode perguntar no RH se necessita de mais algum documento, mas geralmente não, pois a empresa já envia os dados para clínica com antecedência.  

O que faz um profissional ser reprovado?

exame medico

Como já foi destacado, o exame admissional é uma etapa fundamental na contratação do colaborador. 

Apesar de ter caráter eliminatório, não é de fato um exame de aprovação ou reprovação. Na verdade, ele serve para verificar as condições clínicas para o exercício da função.

Portanto, caso o profissional seja reprovado no exame médico de admissão, sua contratação pode ser interrompida pela empresa.

Geralmente, os motivos de reprovação estão relacionados a problemas que podem impedir o candidato de desenvolver suas atividades na empresa corretamente.

É válido ressaltar que não ele não deve ser discriminatório, um exemplo muito comum, não é legal solicitar teste de gravidez ou HIV, por exemplo; essas questões não devem ser usadas como motivo de reprovação nesse exame.

Vamos a um modelo legal que pode reprovar nessa etapa da seleção: e empresa está com uma vaga em aberto para motorista no período noturno.

Entre as atividades, o profissional precisa dirigir durante o período noturno sem paradas. O exame admissional vai ajudar a empresa a descobrir se o candidato tem atenção e conseguirá dirigir por várias horas seguidas.

Caso fique comprovado por meio dos testes clínicos que ele não consiga desenvolver bem essas atividades, ele será reprovado. 

Ou seja, o exame servirá para comprovar se ele está ou não apto para o exercício da função. 

Dessa forma, as causas de reprovação no exame, em sua maioria, estão relacionadas às atividades laborais exigidas para a vaga que o profissional está se candidatando.

Se você conhece bem as atividades do cargo e sabe que pode desenvolvê-las sem complicações, não precisa ir para o exame nervoso. 

Qual a importância do exame admissional?

Por ser obrigatório e previsto em lei, deve ser realizado para que as partes envolvidas não sofram prejuízos judiciais. 

No entanto, sua importância vai para além disso. Com esse exame, o médico emite um atestado de capacidade funcional (ASO).

Entre as informações contidas neste atestado, encontramos o histórico de saúde do colaborador e também os possíveis riscos nas funções que ele desempenha na empresa.

Essas informações servem para garantir a integridade física do profissional, pois se ele não estiver apto para desenvolver a função, a empresa não pode obrigá-lo a fazer.

Fora isso, caso ele tenha adquirido um problema consequente das atividades desenvolvidas no trabalho, além de se responsabilizar pelo tratamento, a empresa não pode mandá-lo embora até que a situação seja resolvida.

Por outro lado, a empresa também se garante de que o funcionário não entre com um processo justificando que contraiu uma doença no pouco tempo que permaneceu na mesma.

Certamente, é um procedimento importante para garantir a segurança da empresa e do colaborador, e que pode proteger ambos. Por isso, não deve ser negligenciado. 

O exame admissional também é indispensável para direcionar a organização diante os funcionários portadores de necessidades especiais.

Além disso, ajuda a ter respaldo jurídico e a garantir que as regras sejam cumpridas, evitando, por exemplo, possíveis acidentes de trabalho.

Quais exames não podem ser solicitados pela empresa na hora da contratação?

Como já foi citado em um tópico anterior, alguns exames não devem ser solicitados durante o processo de admissão, pois tem teor discriminatório. 

Essa atitude é considerada criminosa e passível de punição judicial, segundo a Lei Número 9029/25, da Constituição Federal.

Ou seja, os exames que não podem ser solicitados no exame admissional são:

  • Teste de gravidez;
  • Toxicológico;
  • HIV;
  • Esterilização.

A pena para as empresas que descumprirem essa lei pode ser de até 2 anos de detenção e/ou multa.

Tem que estar de jejum para fazer o exame?

Não. Esse procedimento não exige nenhum tipo de preparo. Caso haja a necessidade de um exame complementar e esse necessite de algum preparo, o profissional será informado. 

Quando se faz o exame admissional já está contratado?

Quando somos chamados para fazer o exame de admissão, sabemos que estamos mais perto do que longe de sermos contratados. 

Entretanto, se os resultados não correspondem aos estabelecidos pela empresa, ela não é obrigada a contratar o candidato.

Há casos em que ele pode ser conduzido para outra função, em que os resultados dos exames não interfiram nas suas atividades.

Conclusão

Como podemos observar, o exame admissional é um procedimento importante para a segurança do profissional e também da empresa, além de ser previsto por lei. 

Por isso, é muito importante conhecer seus direitos e deveres mediante a essa situação para realizar tudo corretamente. 

Certamente, com o texto de hoje já consegui tirar muitas dúvidas sobre o assunto. Porém, para te dar uma experiência completa, que tal conhecer algumas empresas com vagas ativas?

Em nosso blog você encontra mais vagas ativas para trabalhar em grandes empresas brasileiras e multinacionais, além de dicas para processo seletivo e muito mais!

Não deixe de acompanhar e ver sua carreira decolar!