Metodologias Ágeis: o que são, exemplos e importância

Em uma era onde o tempo parece que reduziu significativamente e precisamos driblá-lo para dar conta de tudo, a agilidade se torna a chave para o sucesso. 

Anúncios

As ferramentas ágeis surgem como aliadas estratégicas para empresas e profissionais que buscam navegar com maestria nesse cenário dinâmico. 

No entanto, muitos profissionais não sabem o que são elas e qual é a importância que assumem na gestão de projetos?

Se você deseja aprender mais sobre este tema para se destacar no mercado trabalho, leia o texto e confira as informações. 

    O que são ferramentas ágeis?

    As ferramentas ágeis, também conhecidas como metodologias ágeis, são mais do que simples softwares ou aplicativos. 

    Elas representam uma filosofia de trabalho que prioriza a flexibilidade, a colaboração e a entrega contínua de valor. 

    Essa abordagem inovadora se contrapõe aos modelos tradicionais e rígidos, permitindo que equipes adaptem-se rapidamente às mudanças e atendam às demandas em constante evolução. 

    Em suma, são conjuntos de práticas que visam tornar a execução de atividades mais eficiente. 

    Diferentemente de simples rapidez, elas focam na eficácia e precisão dos processos. 

    Imagine preparar o almoço: em vez de fazer um prato de cada vez, você realiza diversos preparos simultaneamente para evitar que a comida esfrie. Isso é agilidade! 

    Os princípios das metodologias ágeis incluem comunicação, praticidade, flexibilidade e alinhamento de expectativas, garantindo produtividade ao longo de um projeto. 

    Quando surgiram as metodologias ágeis?

    As metodologias ágeis, hoje em dia ferramentas essenciais para a gestão de projetos dinâmicos e adaptáveis, não surgiram da noite para o dia. 

    Sua história, marcada por inovação e colaboração, remonta a meados do século XX, com a busca por alternativas mais flexíveis aos modelos tradicionais e rígidos de gerenciamento.

    Entre a década de 1950 e 1960, as sementes da agilidade são plantadas com o surgimento de ideias como desenvolvimento incremental e ciclos de feedback, defendidas por autores como William Royce e Eliyahu Goldratt.

    Porém, foi na década 1980 que o movimento de desenvolvimento de software leve ganha força, com foco em entregas frequentes, adaptabilidade e testes contínuos. 

    Figuras como Kent Beck e Jim Highsmith se destacam como pioneiros.

    No infográfico, você confere mais algumas datas importante na história das ferramentas ágeis. 

    Infográfico: metodologias ágeis

    O que é Manifesto Ágil?

    O Manifesto Ágil é um marco histórico na história das metodologias ágeis, sem dúvidas. 

    Em 2001, um grupo de 17 desenvolvedores de software se reuniu em Snowbird, Utah, nos Estados Unidos. 

    Insatisfeitos com a rigidez e ineficiência dos métodos tradicionais, uniram-se para criar o Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software.

    Este documento fundamental, composto por quatro valores e doze princípios, formalizou os pilares da filosofia ágil:

    Sendo os valores:

    • Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas.
    • Software funcional acima de documentação abrangente.
    • Colaboração com o cliente acima de negociação de contrato.
    • Resposta à mudança acima de seguir um plano.

    Princípios:

    1. Satisfaça o cliente através da entrega frequente de software de alta qualidade.
    2. Adapte-se às mudanças emergentes durante o desenvolvimento.
    3. Entregue software funcional com frequência, de preferência semanalmente ou com menor periodicidade.
    4. Promova a comunicação contínua entre a equipe de desenvolvimento e o cliente.
    5. Crie um ambiente propício para que os indivíduos se tornem altamente motivados, produtivos e criativos.
    6. Concentre-se na excelência técnica e no bom design.
    7. Pratique a agilidade e a adaptabilidade.
    8. Equipes auto-organizadas são mais eficazes.
    9. Crie, inspecione e adapte continuamente o software e os processos.
    10. Simplicidade - a arte de minimizar o trabalho desnecessário - é essencial.
    11. As melhores equipes, técnicas e ferramentas emergem de conversas e colaboração entre indivíduos.
    12. Periodicamente, reflita sobre como se tornar mais eficaz e ajuste seu comportamento de acordo.

    O Manifesto Ágil serviu como base para o desenvolvimento de diversos frameworks ágeis, como Scrum, Kanban e XP, cada um com suas próprias características e adaptações dos valores e princípios fundamentais.

    A partir de então, as metodologias ágeis transcenderam o âmbito do desenvolvimento de software, adotadas por empresas de diversos setores e tamanhos, impulsionando a transformação ágil em todo o mundo.

    + Faculdades que oferecem curso de Inteligência Artificial: veja 4 opções 

    Exemplos de metodologias ágeis 

    A diversidade de ferramentas ágeis disponíveis garante que cada equipe encontre a solução ideal para suas necessidades. 

    Entre os exemplos mais populares, podemos destacar, por exemplo, o Quadro Kanban. Com ele, você pode visualizar o fluxo de trabalho intuitivamente. 

    Dessa forma, pode organizar as em colunas que representam diferentes etapas do projeto.

    Outro exemplo popular é o Scrum, onde você pode dividir projeto em sprints curtos e iterativos, promovendo entregas frequentes e feedback constante.

    A Metodologia XP (eXtreme Programming) também é mais um exemplo comum de ferramentas ágeis. 

    Com ele, enfatizar testes automatizados, programação em pares e integração contínua para garantir a qualidade do software.

    Além das opções já citadas, temos como exemplo de metodologias ágeis:

    • Lean;
    • DSDM (Dynamic Systems Development Method);
    • Crystal;
    • Feature-Driven Development (FDD);
    • SAFe (Scaled Agile Framework);
    • Agile Unified Process (AUP).

    Cada exemplo de tecnologia ágil citada aqui difere, algumas possui a flexibilidade do ágil, mas possui também características mais tradicionais.

    É importantíssimo conhecer as peculiaridades de cada alternativa para ver qual é a melhor opção para o seu projeto.

    Quando usar essas ferramentas?

    As metodologias ágeis se tornaram uma escolha popular para gerenciar projetos em diversos setores, mas nem sempre são a melhor opção. 

    Saber quando as usar é importante para ter sucesso nas ações. Veja abaixo uma lista com alguns cenários em que elas podem ser adotadas:

    • Projetos com alta incerteza ou mudanças frequentes;
    • Projetos que exigem entregas frequentes e feedback contínuo;
    • Equipes que precisam de colaboração e comunicação eficazes;
    • Projetos com foco na inovação e no aprendizado contínuo.

    Essas ferramentas podem usadas no Marketing Digital, Desenvolvimento de Software, Design de Produtos e Gestão de Projetos, por exemplo.

    Usá-las, traz muitas vantagens. Elas proporcionam respostas mais rápidas às mudanças, ajustando o curso do projeto conforme necessário.

    Além disso, melhora a comunicação e colaboração, uma vez que melhora o entendimento mútuo entre os membros da equipe e o cliente, promovendo um ambiente de trabalho mais coeso.

    Com ela, as empresas podem focar melhor no cliente e na entrega de valor.

    Isso porque, há entregas frequentes de funcionalidades úteis e funcionais, atendendo às expectativas do cliente.

    + Gerente de Projetos: tudo sobre a profissão! Qual é a sua importância?

    Conclusão

    Com as metodologias ágeis você traz mais agilidade, flexibilidade e eficiência para seus projetos. 

    Portanto, conheça mais os exemplos citados neste texto e descubra qual é a melhor opção para sua empresa.